A alimentação influencia o estado da pele?

A pele é o maior órgão do nosso corpo!

Com cerca de 2m² e pesando à volta de 4kg, a pele é um órgão essencial à vida, funcionando como uma barreira protetora do organismo. Além disso, a pele desempenha funções sensoriais, de regulação térmica e ajuda a eliminar substâncias do organismo.

Por ser um órgão de defesa, a pele necessita de cuidados de proteção e nutrição.

Além dos cuidados diários e proteção adequada, de que já temos falado, uma pele saudável precisa de ser nutrida. Isso pode ser feito de dentro para fora, através da alimentação.

O segredo para uma pele saudável também está no prato!

“Que o teu remédio seja o teu alimento e que o teu alimento seja o teu remédio” (Hipócrates, pai da medicina moderna, 400 a.C.)

Uma boa alimentação pode ser a chave para uma pele bonita e nutrida.

A vitamina A é um dos componentes principais da pele - equilibra o pH e minimiza o risco de infeção. Além disso, intervém diretamente no crescimento celular e é, também, antioxidante. O nosso corpo não é capaz de produzir vitamina A. Portanto, toda a dosagem de que necessitamos deve vir diretamente dos alimentos.

Esta vitamina está presente nos alimentos de origem animal, como carne, ovos, lacticínios, como o leite, manteiga ou iogurte.

Existem também boas fontes de vitamina A no mundo vegetal: os carotenoides (pigmentos amarelos, laranja e vermelhos naturalmente presentes nas frutas e nos vegetais como a cenoura ou alperce, a laranja ou o morango) são igualmente protetores, por ser um elemento que dentro do nosso corpo se transforma em vitamina A.

Quais são os principais aliados na antioxidação?

Ricos em polifenóis, os mirtilos lideram o ranking dos frutos vermelhos antioxidantes.

Existe uma extensa lista de alimentos amigos da pele que inclui não só os frutos antioxidantes (groselha-negra, mirtilo, manga, uva, morango), como os vegetais de folha verde (espinafres, couve, espargos e brócolos), as leguminosas (feijão, ervilha e lentilhas), o tomate (rico em licopeno), os frutos secos (como uva passa, ameixa, figo e tâmara) e peixes (como o salmão ou a sardinha).

O azeite é outro bom exemplo. Até mesmo especiarias e ervas (como cravinho, canela, orégãos, açafrão da Índia e caril em pó) contêm antioxidantes, o que faz delas uma excelente forma de dar um toque diferente a uma refeição e descobrir novos sabores.

Ingerir antioxidantes – entre os quais betacaroteno, luteína, licopeno, selénio e vitaminas A, C e E – ajuda a desacelerar o processo de envelhecimento.

Os hidratos de carbono são essenciais!

Claro que temos de ter em conta que os hidratos de carbono refinados estão relacionados com o aumento de peso e outros problemas, inclusive problemas da pele, como acne e outros.

 

Então, é proibido comer pão e bolos? Não!!! Tudo é uma questão de moderação e variedade.

Já ouviste falar da regra dos 4/4?

1/4 do prato deve ser de alimentos ricos em proteínas, de origem vegetal (feijão, lentilhas, grão de bico, favas) ou de origem animal com baixo teor de gordura (peixe, carne de aves e ovos)

1/4 de hidratos de carbono complexos (pão, cereais, massa, arroz, batata)

2/4 de vegetais verdes e fruta fresca

Afinal que alimentos devemos evitar?

Os alimentos a evitar são as gorduras, a comida muito processada, os hidratos de carbono refinados e os açúcares. O consumo de bebidas alcoólicas, bem como o tabaco, têm um impacto negativo também na pele, deixando-a mais baça e fragilizada.

 

A alimentação é determinante para manter uma pele saudável.

O segredo é a variedade. Quanto maior a variedade de alimentos que conseguirmos incorporar na nossa alimentação, maior será a quantidade de micronutrientes que disponibilizaremos à nossa pele.

Se conseguirmos promover essa variedade desde criança, sentiremos o benefício ao longo de toda a vida!

Deixe um comentário

Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos